Artigos > Na Via

Acho que todo mundo conhece pelo menos uma via esportiva em que o primeiro grampo está bem alto e o lance para chegar até lá não é nada fácil. O Capenga, na Pedra do Urubu (Urca), e a Sinos, na Serra do Cipó (MG), são dois exemplos clássicos deste tipo de via. Nestes casos, há apenas duas opções: escalar e fazer a costura (com muito cuidado para não cair!), ou então costurar do chão e começar em top rope. No segundo caso, um stick pode ser bastante útil. Muitos já o usam, e quem ainda não conhece vai ver como é fácil fazer um.

Primeiro, é preciso uma vara – de madeira, alumínio, bambu ou algum material leve e resistente - com um comprimento que alcance o grampo.

Depois, prende-se uma costura na ponta da mesma com a ajuda de um esparadrapo, usando o mínimo necessário. É possível também prender a costura sem o esparadrapo, bastando abrir uma forquilha na ponta da vara para encaixar o mosquetão.

Com a costura presa, basta clipar a corda no mosquetão inferior.

Em seguida, para manter o mosquetão de cima aberto, usa-se um pequeno graveto, de preferência em forma de Y, como na foto.

Agora, basta levantar o stick e passar o mosquetão dentro do olhal do grampo. O graveto que prendia o gatilho vai cair e o mosquetão estará clipado.

Para finalizar, é só puxar a vara que o esparadrapo irá se soltar. Pronto: hora de se encordar e começar a escalar.

Se desejar algo mais moderno, existem sticks manufaturados, como o Stick Clip, da Epic Sport, feito em alumínio e com alcance de cinco metros. Alguns sticks podem não só colocar como também retirar a costura do grampo, além de passar a corda numa costura pendurada. É o que promete, por exemplo, o Squid, da Trango.

Fonte:
Revista Fator 2 - Número 28 (2006)
Chockstone


© 2007-2009 - Claudney Neves